Blog de Meteo Trás os Montes

Portugal enfrenta uma das secas mais intensas dos últimos anos

Anuncios

A seca agravou-se em todo o país em maio

Depois das chuvas que caíram em abril terem amenizado a situação de seca em Portugal, o mês de maio voltou a agravar a situação.

Maio foi o 7.º mês mais quente desde 1931 e o 4.º desde 2000, com temperaturas mais de dois graus Celsius (C) acima da média e uma onda de calor, adiantou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), referindo que a baixa precipitação agravou a seca. O IPMA classificou o mês passado como “muito quente” e “extremamente seco”.

Anuncios

De acordo com o resumo climatológico para o mês de Maio de 2019, publicado pelo IPMA, o “valor médio da temperatura média do ar, 18,11º C, foi superior ao normal com um desvio de +2,38º C. O valor médio da temperatura máxima do ar, 25,09º C foi muito superior ao valor normal +4,13º C, sendo o 2.º valor mais alto desde 1931 (mais alto em 2015)”.

Os valores de temperatura do ar foram quase sempre superiores ao valor normal entre 1971-2000” e entre 11 e 15 de Maio registou-se um “período excepcionalmente quente, com valores médios da temperatura do ar superiores a 30º C entre os dias 12 e 14, representando um desvio em relação aos valores padrão superior a 10º C.

Entre 21 e 31 de Maio os “valores de temperatura máxima também estiveram sempre acima do normal “sendo de salientar os últimos três dias do mês em que o valor médio da temperatura máxima do ar, em Portugal continental, foi novamente superior a 30º C”.

Em termos de precipitação, choveu apenas 19% do valor normal para maio. “O valor médio da quantidade de precipitação em Maio, 13,3 mm, corresponde a apenas 19 % do valor normal mensal. Foi o 6.º mês de Maio mais seco desde 1931 (mais seco em 1991) e o 3.º mais seco desde 2000, depois de 2006 e 2003. No final do mês verificou-se, em relação ao final de Abril, uma diminuição significativa dos valores de percentagem de água no solo em todo o território, sendo de destacar as regiões do interior Norte e Centro, a região de Vale do Tejo, o Alentejo e o Algarve com valores inferiores a 20%.

Anuncios

Segundo o IPMA, “verificou-se no final de Maio um aumento da área em seca meteorológica e da sua intensidade, sendo de realçar a região Sul nas classes de seca severa a extrema”. “Assim, no final de Maio, a distribuição percentual do índice de seca no território é a seguinte: 2,5 % na classe de seca extrema, 27,9 % na classe de seca severa, 22,4 % na classe de seca moderada, 46,1 % na classe de seca fraca e 1,8 % na classe normal”, precisa o instituto.

 

📢​ Matrícula abierta para el primer curso de meteorología en 2024

Conoce los nuevos modelos de inteligencia artificial y aprende a utilizarlos.


❤️​ Únete a Meteovigo para que el proyecto siga adelante y mejora tu experiencia meteorológica: 

  • Recibe alertas personalizadas directamente en tu correo si va a llover, nevar, hacer frío, calor o fuertes vientos en tu localidad en los próximos 7 días.
  • Consulta el pronóstico del multimodelo de Meteovigo para tu localidad y el nuevo modelo de inteligencia artificial del ECMWF AIFS. 
  • Apoya nuestra labor diaria para que podamos seguir publicando todos los días (festivos incluidos) en un momento de grandes cambios en la publicidad/cookies en los medios digitales. Meteovigo no recibe ningún tipo de financiación externa. Buscamos que las personas sean las que decidan si el proyecto debe seguir adelante con su apoyo, eliminando la mayor parte de la publicidad (únicos ingresos) en sus cuentas.


Si te gusta Meteovigo valora nuestro trabajo dejando una reseña en Google: ->> Valorar Meteovigo

Marcio Santos

Márcio Santos, nascido em Chaves a 21 de Abril de 1985. Meteorologista amador, autodidata e comunicador, desde sempre apaixonado por fenómenos extremos, astronomia, vulcanismo e natureza. Criador da maior comunidade online dedicada à meteorologia em Portugal, o Meteo Trás-os-Montes, presente no Facebook, Instagram e Twitter.

Publicaciones relacionadas

Botón volver arriba